quinta-feira, 21 de julho de 2016

Importância de Giuseppe Toniolo na Família Paulina


.
Quem foi Toniolo?
Giuseppe Toniolo nasceu em Treviso, Itália, em 1845. Casado, pai de sete filhos, professor universitário em Veneza e Pisa, distinguiu-se em um movimento de empenho social a que a encíclica Rerum Novarum de Leão XIII (1891) deu voz e incremento. Participando no que se chamava a Obra dos Congressos, Toniolo embrenhou-se, no clima cultural de seu tempo, para que os católicos estivessem presentes na sociedade civil. Participou, desde a primeira hora, na Sociedade da Juventude Católica Italiana , núcleo inicial da Ação Católica. Ele próprio fundou, em 1889, em Pádua, a União Católica para os estudos sociais, de onde surgirá, em 1893, a Revista Internacional de ciências sociais e disciplinares auxiliares, de que será diretor.

Teoria social de Toniolo
Toniolo elaborou uma teoria social, afirmando o prevalecer da ética e do espírito cristão sobre as cegas leis da economia. Nos seus numerosos escritos propõe inovações no mundo do trabalho: repouso festivo, limitações nas horas de trabalho, defesa da pequena propriedade, tutela do trabalho feminino e infantil. Defende também o valor econômico-social da religião, a favor de uma reconciliação entre ciência e fé. É sob o seu impulso que em 1907 surgem as Semanas Sociais Italianas.

Participação dos leigos
As iniciativas culturais promovidas agora, a propósito da sua beatificação, reacendem na opinião pública italiana o debate sobre a laicidade do Estado e a participação dos católicos na sociedade, assim como sobre a validade e a atualidade dos princípios fundamentais do magistério social da Igreja.
Faleceu em Pisa no dia 7 de outubro de 1918.

Influência de Toniolo na origem da Família Paulina
O bem-aventurado Alberione conheceu Toniolo, e ele mesmo disse como foi importante o pensamento do sociólogo na inspiração da Família Paulina:
Realizara-se, pouco antes, um congresso (o primeiro a que assistiu); entendera bem o discurso calmo, mas profundo e cativante de Toniolo. Lera o convite de Leão XIII para rezar pelo século que se iniciava. Tanto um como outro falavam das necessidades da Igreja, dos novos meios do mal, do dever de opor imprensa a imprensa, organização a organização, de fazer o Evangelho penetrar nas massas, das questões sociais...  Disse:
"Vagando com a mente no futuro  a ele (Alberione) parecia que no novo século almas generosas sentiriam o que ele sentia; e que, associadas em organizações se poderia realizar o que Toniolo repetia: "Uni-vos; se o inimigo nos encontar sós, nos vencerá um por um" (Abundates divitiae, 17).
Era muito claro a Alberione o que dizia Tomiolo sobre o dever se ser Apóstolos de hoje, usando os mesmos meios utilizados pelos adverários. "E se sentiu profundamente obrigado a preparar-se para fazer  algo pelo Senhor e pelas pessoas do novo século com as quais viveria"(AD 15).

O papa Bento XVI proclamou, no dia 29 de abril de 2012, o leigo católico italiano, Giuseppe Toniolo, bem-aventurado na Igreja

quarta-feira, 29 de junho de 2016

Consagrações e Jubileus de Paulinas

Estamos chegando ao final do mês de Junho, mês cheio de significado para toda a Família Paulina, mês que também nós, Irmãs Paulinas, rendemos graças a Deus por tantas coisas boas que aconteceram. De modo especial, queremos elevar nossos louvores a Deus pela Primeira Profissão Religiosa das noviças: Gabielle e Silvânia, que no dia 12 de junho fizeram a sua consagração na Pia Sociedade das Filhas de São Paulo. Que o SIM de vocês seja fecundo e se multiplique no dia a dia!

No último domingo de junho, 26, as Irmãs Paulinas: Adriana Zuchetto, Carmem Maria Pulga, Joana Terezinha Puntel, Leiry Zanchet, Maria Rogéria Bottasso, Terezinha Maria Dambros Celebraram seu jubileu de OURO de Consagração. Um momento de muita gratidão a Deus por toda a vida partilhada ao longo deste caminhada. 


Também as Irmãs: Cícera Maria Gomes da Silva, Edimá Enedina dos Santos, Elisabete Corazza, Iracema Farias Leal, Renilda Formigão, Sebastiana Roseli da Aparecida Schissel e Zuleica Aparecida Silvano, com a presença de familiares, amigos e das Irmãs de várias comunidades celebraram o seu Jubileu de PRATA. Rendemos graças a Deus pela fidelidade destas Irmãs nos seus 50 e 25 anos de vida Consagrada.

Laudato sì!

quinta-feira, 28 de abril de 2016

Memória da Beatificação do Padre Tiago Alberione


No dia 27 de abril de 2003 o papa João Paulo II declarou o Padre Tiago Alberione Bem-aventurado!
Padre Tiago Alberione, Fundador da Família Paulina, foi um dos mais carismáticos apóstolos do século XX. Nasceu em San Lorenzo di Fossano (Cuneo, Itália), no dia 4 de abril de 1884. Recebeu o batismo já no dia  seguinte. A família Alberione, constituída por Miguel e Teresa Allocco e por seis filhos, era do meio rural, profundamente cristã e trabalhadora.

O pequeno Tiago,  quarto filho, desde cedo passa pela experiência do chamado de Deus: na primeira série do ensino primário, quando a professora Rosa perguntou o que seria quando se tornasse adulto, ele respondeu: Vou tornar-me padre! Os anos da infância se encaminham nessa direção. Cresceu, tornou-se padre e sentiu-se chamado a uma nova missão na Igreja: "Comunicar a todos Jesus Mestre, com todos os meios que o progresso humano viesse a desenvolver". Foi assim que ele fundou a Família Paulina.

No dia 26 de novembro de 1971 deixou a terra para assumir o seu lugar na Casa do Pai. As suas últimas horas tiveram o conforto da visita e da bênção do papa Paulo VI, que jamais ocultou a sua admiração e veneração pelo Padre Alberione. Foi comovente o testemunho que deu na Audiência concedida à Família Paulina em 28 de junho de 1969 (o Fundador tinha 85 anos). Disse o papa Paulo VI:
«Aí está ele: humilde, silencioso, incansável, sempre vigilante, sempre entretido com os seus pensamentos, que se mobilizam entre a oração e a ação, sempre atento para perscrutar os "sinais dos tempos".

Em 25 de junho de 1996 o papa João Paulo II assinou o Decreto por meio do qual eram reconhecidas as virtudes heróicas de Alberione.

Foi beatificado por João Paulo II, no dia 27 de Abril de 2003, na Praça de S. Pedro, em Roma.

Para pedir sua intercessão
Oração
Senhor, glorificai na vossa Igreja o bem-aventurado Tiago Alberione.
Que ele seja para nós exemplo e intercessor no caminho
de nossa santificação e de nosso apostolado.
Ajudai-nos em nosso trabalho de evangelização,
a fim de que a presença de Jesus Mestre,
se irradie no mundo por meio de Maria, Mãe e Rainha dos Apóstolos.
Concedei-me a graças que agora vos peço... 
Pai Nosso... Ave Maria... Glória ao Pai...

quinta-feira, 3 de março de 2016

CENTENÁRIO DE NASCIMENTO DO VENERÁVEL FREI RICARDO ANDRÉ MARIA BORELLO



Nascimento:  Mango (Cuneo, Itália) em 8 de março de 1916.
Morte: 4 de setembro de 1948, Sanfrè (Cuneo, Itália).
Venerável: 3 de março de 1990.

A família paulina celebra, no dia 8 de março, o centenário de nascimento do Frei Ricardo André Maria Borello, nascido em Mango (Itália), em 8 de março de 1916.  Com a profissão religiosa, viveu sua vocação e missão de Paulino como Discípulo do Divino Mestre, oferecendo o trabalho e a oração para a própria santificação e redenção da humanidade. Sempre se distinguiu por duas virtudes: a humildade e a disponibilidade.

Em março de 1948, motivado pelo seu grande amor à própria vocação e aos Paulinos, e com o consentimento do seu diretor espiritual, ofereceu-se a Deus como vítima pelo desenvolvimento da Congregação, e para que todos os Discípulos do Divino Mestre fossem fiéis à graça da vocação, chegando a afirmar: “Só existe uma coisa que me dói muito. É o fato de que alguns não são fiéis a sua vocação”.  Aos irmãos de Congregação deixou esta mensagem: “Amemo-nos uns aos outros. Adeus e até o céu”. No dia 3 de março de 1990, o hoje  São João Paulo II assinou o Decreto que reconhece a heroicidade do Frei Ricardo André Maria Borello e o proclamou Venerável.

Ele é o modelo dos Discípulos do Divino Mestre e dos leigos consagrados ao apostolado da comunicação social.  O Pe. Alberione assim escreveu a seu respeito: “Na luz de São José, o Frei Ricardo André Maria Borello teve pressa de moldar toda a sua vida com piedade reparadora, com habitual recolhimento e silêncio, com serena docilidade na participação generosa no apostolado, mediante a técnica e a propaganda, com permanente busca da perfeição do Paulino. No leito de morte ele renovou a oferta de sua vida para a fidelidade de todos os chamados”.

Sugiro que em nossas comunidades aconteça uma Celebração Eucarística no dia 8 de março, recordando o centenário de nascimento do Venerável Frei Ricardo André Maria Borello. Em anexo, segue o texto, publicado em espanhol no site da Congregação, que poderá servir de motivação para todos nós conhecermos um pouco mais e melhor este nosso confrade que nos antecedeu no céu.

Também temos publicado em português o livro do Pe. Eliseu Sgarbossa (sacerdote paulino) – Ricardo André Borello, uma vida doada a serviço do Evangelho. Quem quiser um exemplar, basta pedir ao Pe. Roni Hernandes.

Boa celebração para todos – Paulinos e Formandos – e que, do céu, o Venerável Frei Ricardo André Maria Borello interceda a Deus por todos nós para que vivamos, como ele, com fidelidade e alegria a nossa vocação paulina.

Abraço com afeto,
Padre Antonio Lúcio
Coordenador Provincial
de Animação Vocacional e Formação
Belo Horizonte, 1º de março de 2016
Terceira Semana da Quaresma

terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Entrevista com o postulador geral para as causas dos Santos da FP

Laboratório de Santidade
Pe. José Antonio Pérez
O  postulador geral para as causas dos santos da Família Paulina, o Pe. José Antonio Pérez, SSP, entrevistado por ZENIT, referiu-se à obra como um laboratório de santidade.
A Família Paulina (http://www.alberione.org), composta por cinco congregações, quatro institutos de vida secular consagrada e uma associação leiga foi fundada pelo Bem-aventurado Tiago Alberione (1884-1971), segundo inspiração recebida por Deus em 31 de dezembro de 1900, na virada do século.

ZENIT: Ao começar no cargo, assume uma tarefa de grande responsabilidade.

José Antonio Pérez: Sim, comecei com a confiança de que farei tudo o que possa e o resto fará o Senhor e os interessados, que são os beatos e veneráveis da Família Paulina.

ZENIT: Quais paulinos estão em processo de canonização?

José Antonio Pérez: Atualmente são sete. Além do fundador, o Beato Tiago Alberione, está o Beato Timoteo Giaccardo, que foi o primeiro sacerdote e vigário geral.
Os veneráveis são: a co-fundadora das Filhas de São Paulo, Ir. Tecla Merlo; o Irmão Andrés Borello; o jovem aspirante Maggiorino Vigolungo, que morreu aos 14 anos; e o Cônego Francisco Chiesa, que foi diretor espiritual e colaborador incondicional do Pe. Alberione desde  as origens da fundação, pelo que se lhe considera parte a Família Paulina. Além disso há a primeira Madre das Pias Discípulas do Divino Mestre, Serva de Deus Ir. Escolástica Rivata, falecida em 1987.

ZENIT: Que características são constantes neste grupo de paulinos?

José Antonio Pérez: O fundador tinha uma grande capacidade para contagiar a paixão com que vivia o chamado de Deus ao novo apostolado, unindo a profunda vida interior com uma atividade apostólica transbordante. Sem dúvida, todos eles seguiram as pautas do fundador para viver essa mesma síntese.

ZENIT: Quais são seus planos para fazê-los mais conhecidos?

José Antonio Pérez: Deve cultivar-se e manter viva essa fama de santidade que já possuem. Para isso, é preciso divulgar sua biografia, imprimir estampas e produzir outros materiais com muita intensidade. Devemos promover encontros nos lugares onde nasceram e viveram, como Alba ou Roma, além de promover mais as peregrinações a esses lugares.

ZENIT: O padre geral dos paulinos disse que a prova de santidade de Alberione está na santidade de seus filhos espirituais…

José Antonio Pérez: É uma frase acertada. Justamente o mesmo fundador, sendo ainda jovem, dizia a seus filhos que só tinha duas preocupações – apesar de todos os problemas que tinha: que ele não era suficientemente bom e que eles não eram santos o suficiente.

ZENIT: Os paulinos estão a ponto de celebrar o primeiro centenário em 2014…

José Antonio Pérez: Sim, e os próximos anos serão de preparação para celebrar este centenário do nascimento da Família Paulina, que começou em 1914 com a Sociedade de São Paulo. Sem dúvida  será um acontecimento na linha marcada por nosso último Capítulo geral, que propunha fazer frente ao futuro com fidelidade criativa, mantendo a essência do carisma paulino e adaptando-o aos tempos modernos.

ZENIT: Ao começar na nova função, o que pediria aos membros da Família Paulina?

José Antonio Pérez: Peço-lhes muita oração. O que Deus não fizer ficará sem fazer. Peço também que promovam o conhecimento dos nossos “santos”, pois considero importante que se conheça estes verdadeiros protagonistas da nova evangelização. Assim as pessoas terão como pontos de referência, modelos para enfrentar este desafio da Igreja na cultura da comunicação que vivemos hoje.


Fonte: Agência Zenit, 2010

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Celebrações da Família Paulina em 2016


SÃO PAULO

JANEIRO

Data: 30 de janeiro (sábado)
(Enceramento do Centenário de Fundação das Filhas de São Paulo)
Local: Santuário São Judas Tadeu (Bairro Jabaquara – São Paulo – SP)
Horário: 17 horas
Preside a missa: 
Responsável: Irmãs Paulinas

ABRIL

SERVA DE DEUS IR. MARIA ESCOLÁSTICA RIVATA
29º Aniversário de Morte 


Data: 03 de abril (segundo domingo da páscoa) 
Horário: 8h 
Local: Paróquia Santo Inácio de Loiola
Preside a missa: 
Responsável: Irmãs Pias Discípulas do Divino Mestre 
* Liturgia própria do dia

FESTA DE JESUS BOM PASTOR
Data : 17 de abril (domingo)
Horário: 16h
Local: Comunidade das Pastorinhas – Jardim Gilda Maria (Raposo Tavares)
Preside a missa: 
Responsável: Irmãs Pastorinhas (Confraternização)

MAIO

FESTA DA RAINHA DOS APÓSTOLOS
Data: 14 de maio (sábado)
Horário: 16h
Local: Paróquia Santo Inácio de Loiola
Preside a missa: 
Responsável: Irmãs Apostolinas 


JUNHO
PRIMEIRA PROFISSÃO RELIGIOSA 
Data: 12 de junho (domingo)
Horário: 
Local: Casa de Oração – Cidade Regina
Preside a missa:
Responsável: Irmãs Paulinas

JUBILEUS DE PROFISSÃO RELIGIOSA 

Data: 26 de junho (domingo)
Horário: 
Local: Casa de Oração – Cidade Regina

Palavra do Papa Francisco 17-01-16