quarta-feira, 26 de setembro de 2018

Exposição no Encontro Internacional Apostolado-Economia
















Encontro Internacional de Apostolado e Economia


Redescobrir o valor do momento criativo e potenciar
a redação “essência do apostolado”,
fruto da oração, estudo, reflexão e colaboração
(10º Capítulo geral).

De 24 de setembro a 7 de outubro de 2018, em Roma, Itália

PROGRAMA

24 de setembro 
Chegada e organização
Dinâmica de conhecimento
Inauguração da exposição de livros (“Salão do livro”)

25 de setembro
 Abertura - Um olhar sobre a realidade
- Introdução de Ir. Anna Maria Parenzan
- Breve visão histórica dos Encontros de apostolado- economia
- Apresentação do método de trabalho
Palestra: Dar voz à humanidade nascente
 Prof. Marco Guzzi, poeta, filosofo, docente, escritor

26 de setembro 
A comunicação hoje
Palestras:
- Novas formas de leitura e escritura exigem novos modelos de edição
 Prof. Mário Pireddu, docente na Universidade de Roma,
na Libera Università degli Studi della Tuscia e na Universidade de Viterbo
- Adeus mass mídia, bem-vindos aos Social mídia
Dr. Seàn-Patrick Lovett, jornalista e diretor da programação, em
inglês, da Rádio Vaticana
Trabalho de grupos
Oração: Uma janela sobre o mundo

27 de setembro 
O editorial em geral e o editorial católico em particular
Síntese da pesquisa / Perguntas e confronto
Palestra:
- Os desafios editoriais dos tempos novos
Prof. Giuliano Vigini, ensaísta e docente de sociologia da editoria
contemporânea na Universidade Católica do Sagrado Coração de Milão

Trabalhos de grupo

28 de setembro Conteúdo - Destinatários
Palestras:
- Epístola de Paulo apóstolo às Filhas de São Paulo
Prof. Lidia Maggi, pastora batista, biblista e teologa
- Quem são hoje os pobres do Evangelho Dr. Luigi Accattoli, jornalista
- Narrar a boa notícia da família
Dr.Francesco Belletti, docente, diretor do Cisf
(Centro internazional estudos família)
-  Falar aos jovens do terceiro milênio
Pe. Gianmário Pagano, roteirista, escritor, blogger, docente
 Perguntas aos relatores / Estudo pessoal 

29 de setembro 
O Editor paulino em Pe. Alberione
Palestras:
- O editor paulino segundo o espírito de Pe. Alberione Giacomo Perego, ssp
- A “graça do apostolado” editorial. Um pouco de história... Anna Caiazza, fsp
Trabalhos de grupo
Oração de louvor pela missão editorial paulina

30 de setembro 
Dia livre
1 outubro Confronto com alguns editores
- San Paolo (Simone Bruno, ssp, responsável editorial)
- EMI (Lorenzo Fazzini, responsável editorial)
- Città Nuova (Luca Gentile, responsável editorial)
Trabalhos de grupo
Oração: Uma janela sobre o mundo

2-3 de outubro 
Aspectos práticos acerca da produção-livros
- Aspectos econômicos, contratos, tiragens, depósito, rotação dos produtos,
apresentação gráfica, etc. Ir. Natália Maccari– Ir. Gabriella Santon
Exercícios práticos / Confronto
Oração no “Salão do livro”

4 de outubro 
Experiências – Estudo pessoal
- Apresentação de algumas experiências no campo editorial (Coreia, Itália,
Colômbia, Brasil, East Africa)
- Apresentação da metodologia para o Laboratório
Estudo pessoal

5-6 de outubro 
Elaboração das linhas editoriais
- Laboratório
- Encontros continentais ou linguísticos para compartilhar projetos e busca de
modalidades de colaboração apostólica

7 de outubro 
Conclusões
- Resultado do Laboratório
- Conclusão de Ir. Anna Maria Parenzan
- Celebração eucarística - Mons. Antonio Mennini
–––––––––––––––––––––––––––––––––––––––
Para as irmãs que irão à Feira Internacional do Livro de Frankfurt (10-14 outubro 2018)
8 outubro 
- Encontro com Ir. Natália Maccari (Apresentação das novidades intercâmbio de direitos, etc.)

9 outubro
- Partida para Frankfurt

Fonte: http://www.paoline.org/incontro-internazionale-apostolato-economia-2018/?lang=pt-pt

sexta-feira, 14 de setembro de 2018

Carta da Superiora Geral ao Papa Francisco



Roma, 14 de setembro de 2018
Festa da Exaltação da Santa Cruz


Caríssimas irmãs,

no turbilhão das notícias das últimas semanas, dirijo-me a vocês com grande confiança para pedir-lhes o acolhimento pleno, afetuoso e solidário das palavras fortes e incisivas que o Papa Francisco dirigiu a toda a Igreja através da Carta ao Povo de Deus do dia 20 de agosto. É uma carta na qual, com acentos de profunda dor, o Papa pede oração, penitência e jejum, para superar a grande prova dos abusos que a Igreja está sofrendo em todas as partes do mundo.

Estamos diante de um apelo para a conversão verdadeiramente profético. O Papa Francisco recorda-nos, de fato, que «a dimensão e a grandeza dos acontecimentos exige que assumamos esse fato de maneira global e comunitária».

O pedido é urgente: somos chamadas a colocar-nos de joelhos, a pedir perdão e sentir vergonha «quando nos damos conta de que o nosso estilo de vida desmentiu e desmente aquilo que dizemos com a nossa voz». Como são verdadeiras estas palavras também em nossa experiência cotidiana! Conceda-nos o Espírito o dom de lutar cada dia contra “todo tipo de corrupção”, de viver naquela contínua «conversão pessoal e comunitária que nos leva a olhar na mesma direção para onde olha o Senhor, a estar onde Ele quer que estejamos, a converter o coração estando na sua presença», a empenhar-nos no exercício da oração e do jejum «para lutar contra qualquer tipo de abuso sexual, de poder e de consciência». Este momento de sofrimento para toda a Igreja pode transformar-se em graça para uma renovada autenticidade de vida.

Foi escrito que, se na primeira noite de seu “pontificado” Francisco se inclinou para receber a bênção silenciosa do povo de Deus, com esta Carta se coloca de joelhos para pedir perdão.

Como Congregação, desejamos acolher com gratidão as palavras do papa, envolvendo-nos plenamente naquela «transformação eclesial e social da qual temos tanta necessidade». E desejamos exprimir-lhe do fundo do coração, todo o amor, a solidariedade e a proximidade neste momento de sofrimento. «Se um membro sofre, todos os membros sofrem junto» (1Cor 12,26). Soframos junto com o Papa, renovemos a comunhão e a fidelidade ao seu magistério, apoiemos com todas as forças, nos diálogos e no exercício da missão, aquele Projeto de renovação da Igreja, ao qual ele mesmo, em primeira pessoa, está dando um grande impulso.

Agradeçamos juntas o Papa Francisco pelo seu magistério, feito mais de gestos do que de palavras, pelo testemunho de fé, de humildade, de simplicidade, de desapego e de pobreza que continuamente nos presenteia. E asseguremos a oferta e a oração diária por ele, uma oração que brota espontânea do coração e abraça as necessidades do mundo inteiro.

Ir Anna Maria Parenzan
Superiora geral

sábado, 30 de junho de 2018

Encerramento do Centenário dos Cooperadores Paulinos


                                                  Roma, 30 junho 2018
A todas as irmãs
Caríssimas irmãs
O primeiro Encontro Internacional dos Cooperadores Paulinos, realizado por ocasião do Centenário em Roma e nos lugares de nossas origens, foi uma grande festa de línguas, culturas, cantos e entusiasmo paulino… Uma animada assembleia com as cores do mundo!
Quase trezentos Cooperadores (muitos não puderam comparecer por causa de problemas com os vistos) provenientes de 25 nações, tornaram viva e palpitante a intuição do Bem-aventurando Tiago Alberione, que desde 1917, havia sonhado os Cooperadores como “pessoas que compreendem a Família Paulina e formam com ela uma união de espírito e de intenções” (CISP p. 384). O fundador nos queria de fato – religiosos e leigos – como um único corpo, para a evangelização da “grande paróquia” que é o mundo.
Com a comovedora partilha das diferentes experiências, percebemos, mais uma vez, a beleza de ser Família e a necessidade de abrir-nos mais ao dom da vocação leiga. Percebemos também a nossa responsabilidade para que o carisma paulino “resplandeça” e a força transformante do Evangelho atinja todas as dimensões da existência.
Durante o Encontro, nos grupos de trabalho, por áreas linguísticas, os Cooperadores partilharam sonhos e perspectivas para o futuro. Expressaram o desejo de viver, com maior entusiasmo e paulinidade, a missão a eles confiada; pediram para qualificar sua formação, também participando de momentos formativos em nível de Família Paulina; assumiram o compromisso de tornar a Associação conhecida, sobretudo entre os jovens e de tornar mais atraente e interativo o site alberione.org/CP.
O que nós, Filhas de São Paulo, podemos fazer para que a vocação do leigo paulino se desenvolva cada vez mais? Como transmitir aos leigos a paixão evangelizadora que pulsava no coração do Bem-aventurado Tiago Alberione? Enquanto escutávamos as diversas experiências, ressoavam em nós as palavras do Papa Francisco:
Precisamos de leigos bem formados, animados de uma fé sincera e transparente… Temos necessidade de leigos que saibam arriscar, que sujem as mãos, que não tenham medo de errar, que se lancem para frente. Precisamos de leigos com visão de futuro… Temos necessidade de leigos com o sabor da experiência da vida, que ousam sonhar (17 de junho 2016).
No contexto atual, o Mestre divino chama-nos a caminhar juntos, a valorizar os diversos carismas, no respeito dos dons de cada um, para uma ação apostólica conjunta e fazer a todos “a caridade da verdade”.
O Espírito Santo que “faz novas todas as coisas”, nos ajude a escrever, juntos, um novo capítulo, rico de esperanças, na história da Família Paulina, assumindo os vastos horizontes e a herança iluminadora do Fundador:
“Erguei os olhos, olhai ao alto de uma grande árvore da qual não se vê a copa: esta é a nossa Casa que é, de verdade, uma grande árvore, vós não estais senão na raiz… Oh, se entendêsseis o tesouro que está em vós…” (26 janeiro 1919).
Também os Cooperadores são parte deste “tesouro” que nos leva a olhar para o alto, para os ramos da grande árvore que se perdem no coração de Deus.
Com afeto
Ir. Anna Maria ParenzanSuperiora Geral

sábado, 3 de março de 2018

quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

Irmã Anna Maria Parenzan fala do 11º Capítulo Geral

Roma, 28 de fevereiro de 2018

Às superioras de circunscrição
e das casas dependentes
A todas as irmãs

Caríssimas irmãs,

dirijo-me a vocês, no clima “favorável” da preparação à Páscoa e a duas semanas do dia em que celebramos o 65° aniversário da aprovação pontifícia das Constituições das Filhas de São Paulo (15 de março de 1953), «guia para a santidade e ajuda específica para vivermos a nossa aliança com Deus» (Const. 189).

A história da nossa congregação é história de aliança. O Senhor, que se compromete conosco, é fiel; o seu chamado e a sua graça são irrevogáveis (cf. Rm 11,29). Também em meio às maiores dificuldades a mão de Deus esteve e continua a estar sobre nós.

É com essa consciência consoladora que desejo comunicar-lhes o tema do 11° Capítulo geral e dar-lhes algumas indicações concretas sobre a modalidade da preparação.

Tema do 11° Capítulo geral
Na consulta feita em nível de governo geral, fazendo tesouro do caminho realizado pela congregação nestes anos, das contribuições das superioras presentes no Intercapítulo de 2016, das orientações eclesiais – de modo particular as contidas na Evangelii gaudium –, depois de prolongado discernimento e atenta reflexão chegamos à formulação do tema do 11° Capítulo geral:

«Levanta-te e coloca-te a caminho» (Dt 10,11)
confiando na Promessa

Nascidas pela Palavra, para anunciar e indicar a todos «o caminho luminoso da vida», que é o Evangelho de Cristo Jesus, temos em nosso DNA uma forte audácia missionária.

Mas, o que Deus deseja fazer conosco hoje? Para onde pretende conduzir-nos o Espírito, o verdadeiro “protagonista” da missão? Como exprimir a profecia paulina em resposta aos apelos que o Senhor nos dirige nesta hora da história do mundo? Como recolocarmo-nos a caminho confiando naquela Promessa de fidelidade, de graça, de fecundidade recebida no «sonho» de pe. Alberione, e que ainda hoje alimenta o nosso sonho de realizar alguma coisa de novo?

O «Não temais. Eu estou convosco» foi dirigido a nós pelo Mestre, neste preciso momento da história, e nos recoloca a caminho, convidando-nos a olhar a nossa pequenez e pobreza como recurso e condição favorável para colaborar na missão do Espírito mediante o nosso dom específico.

Itinerário de preparação
As irmãs da Comissão Pré-capitular se encontraram de 1° a 25 de fevereiro e iniciaram o trabalho acompanhadas a distância pelo facilitador, pe. José Cristo Rey García Paredes, claretiano.

Do seu empenho brotou o documento Em preparação ao 11° Capítulo geral (Subsídio 11°CG/01) que vocês receberão dentro de alguns dias e que favorecerá o conhecimento e um primeiro aprofundamento do tema.

Tal subsídio contém a proposta para o envolvimento de todas na preparação deste importante evento de congregação. Em um encontro de partilha comunitária cada irmã, depois de atenta reflexão pessoal sobre os pontos indicados, poderá oferecer elementos preciosos para a elaboração do Esboço do Instrumento de trabalho, que será objeto do estudo e do empenho operativo das que participarão dos Capítulos provinciais e dos encontros de delegação e das casas dependentes. Na primavera de 2019, será redigido o Instrumento de trabalho definitivo, isto é, o documento base do 11° Capítulo geral.

O bom êxito do Capítulo, portanto, está confiado a cada uma de nós, ao desejo de contribuir para a renovação da congregação, partilhando na simplicidade e alegria as luzes que o Espírito nos faz perceber.

Tempo do Espírito
Somos colaboradoras do Espírito. Animadas por essa certeza, desejamos que todo o processo capitular – desde o início – se desenvolva em clima de discernimento espiritual, para ver o «Dedo de Deus» em ação no mundo de hoje e descobrir o que o Senhor deseja fazer conosco.

Por isso, se elevará abundantemente em toda a congregação a oração ao Protagonista da missão. No Subsídio 11°CG/01, além da Sugestão de Celebração da Palavra para iniciar comunitariamente a preparação ao 11° Capítulo geral, há a proposta de uma Novena de Pentecostes, que nos unirá ao invocar «o advento do vento e do fogo do Espírito Criador».

Confiemo-nos, desde já, à potente intercessão do Espírito, mediante as palavras da oração que nos acompanhará no itinerário de preparação:

Espírito Vivificador,
guarda da vida divina em nós,
ilumina o nosso caminho
rumo ao 11° Capítulo geral.
Reaviva a esperança, afasta todo temor,
dispõe os corações à confiança plena no Deus fiel. Amém.

Com grande afeto e reconhecimento,

Ir. Anna Maria Parenzan
Superiora geral